• ENCONTRE UMA FILIAL PRÓXIMA A VOCÊ
  • (11) 99520-6661

Engenharia de Minas: definições e importância

Engenharia de Minas: definições e importância

Em comemoração ao Dia do Engenheiro de Minas (10/07), nós da Laguna Pneus, especialistas em pneus OTR, vamos lembrar do histórico dessa profissão tão importante para o desenvolvimento global e regional, e de todos os esforços necessários para que um trabalho dessa magnitude possa ser realizado com o máximo de eficiência e lucros, considerando dos riscos e burocracias que envolvem as operações.

Definindo engenharia de minas

Em linhas gerais, a engenharia de minas consiste no aproveitamento dos recursos da Terra, trabalhando principalmente com a exploração de minas, e utilizando os conhecimentos de diversos ramos da ciência, especialmente os da geologia, da química e da física.
As principais áreas de intervenção da engenharia de minas são: pesquisa, prospecção e extração de recursos minerais, o que inclui, evidentemente, minérios, mas também águas minerais e hidrocarbonetos.
Entre outras áreas, a engenharia de minas também atua no tratamento e refinação de recursos minerais, na gestão do subsolo, construção de túneis, mineralogia e metalurgia.

 

Os primórdios da engenharia

A engenharia de minas é um dos ramos mais antigos da engenharia, isso se considerarmos os primórdios da civilização, quando os povos primitivos usavam pedras como ferramentas e armas, o que foi evoluindo, e através de processos cada vez mais avançados, o que proporcionou o uso da cerâmica e, posteriormente, do metal. Tudo feito graças à eficácia da exploração da terra e de seus recursos naturais.
Um dos registros mais antigos dos primórdios do que pode ser considerado como engenharia de minas é a Cova do Leão na Suazilândia, na África. Nesse local foram encontrados vestígios de 43 mil anos que provam que os povos primitivos do Paleolítico trabalhavam na mineração de pedras de hematita, um minério que continha ferro e era utilizado para produzir pigmentos.
Milênios mais tarde, a engenharia de minas ganharia um vasto leque de inovações com as tecnologias e avanços realizados pelos antigos romanos, que desenvolveram métodos de mineração em larga escala.
Um dos avanços desenvolvidos pelos romanos foram os aquedutos, que consistem em canais ou galerias, tanto subterrâneas, quanto à superfície, que eram construídas com a finalidade de conduzir a água, e normalmente eram edificados sobre arcadas ou sob plataformas de vias de comunicação.
Os aquedutos, e outras máquinas hidráulicas, permitiram que grandes quantidades de água fossem transportados até as áreas de exploração de minérios.
A rocha exposta era aquecida pelo fogo e em seguida molhada com água, causando um choque térmico que fazia com que a rocha se rachasse, permitindo a sua remoção.
Outro grande avanço na mineração foi o uso da pólvora, método tão comum atualmente, mas que foi usado pela primeira vez só em 1627, nas minas de Banská Štiavnica, na região onde hoje se encontra a atual Eslováquia.
A utilização de explosivos permitiu um rompimento mais intenso de rochas e pedras, revelando veios de minério de uma forma muito mais rápida que o antigo sistema de choque térmico com fogo e água.
Conforme as tecnologias de mineração foram avançando, os estudos práticos e teóricos da área foram se tornando cada vez mais complexos, exigindo cada vez mais profissionais devidamente capacitados. Considerando tais exigência, em 1765 surgiu a primeira escola de engenharia de minas que se se conhece, a Bergakademie Freiber (Academia de Minas de Freiberg), localizada na cidade de Freiberg, na Alemanha, região considerada até hoje como uma das referências no ramo de mineração na Europa.

 

Engenharia de minas na prática

A engenharia de minas atua em todos os estágios da mineração. O primeiro passo é a descoberta de uma nova jazida mineral, que é seguida pela determinação da viabilidade de exploração.
O próximo passo à descoberta de uma jazida mineral, consiste em determinar quais os minérios serão o foco da busca e dos trabalhos naquela região. Os geólogos e os engenheiros ficam responsáveis por retirar amostras de minério do subsolo através do processo de perfuração. Os mesmo profissionais se encarregam de determinar como serão realizadas as pesquisas, orientando para a busca de minérios de metal. As pesquisas também poderão ser feitas em busca de não metais como o fosfato, o quartzo e o carvão.
As descobertas podem contar com a ajuda de pesquisa em cartas e relatórios geológicos académicos ou de autoridades públicas. Assim como fontes mais acessíveis, como registos de ensaios em propriedades, de perfurações de poços ou mesmo de relatos locais. Essas pesquisa exigem comprovação visual antes que as atividades de mineração sejam iniciadas em um determinado local, o que pode ser feito com registros fotográficos simples, ou até mesmo meios como os satélites ou a fotografia aérea.
Com a jazida mineral localizada, cabe ao engenheiro de minas determinar as propriedades do minério em questão, o que envolve análises químicas, que ajudam a definir as propriedades da amostra mineral.
Após esse processo, é necessário determinar a quantidade de minério existente no local, tão como a proporção da extensão da jazida e o grau de pureza do minério. Para isso, os engenheiros de minas poderão realizar perfurações adicionais para retirar amostras de minério e determinar os limites da jazida e calcular a quantidade de minério presente no depósito.
Um ponto importantíssimo no processo de mineração, é a viabilidade de exploração do depósito mineral, pois muitas vezes jazidas podem ser encontradas em regiões protegidas de floresta, ou em terras demarcadas para outros fins.
Outra análise que deve ser feita consiste em o exame de condições mercadológicas, considerando a oferta e a procura do mineral em questão, o que influencia a quantidade de minério a ser extraída do local, o que impacta direto os custos e lucros das operações e os impactos ambientais.
Com a viabilidade comprovada, é necessário determinar os meios de extração, os custos de operação, o tempo de retorno de investimento remuneração bruta, a margem líquida de lucro, possíveis lucros futuros na revenda dos terrenos, tempo de vida total da reserva, o valor total da reserva, investimento em futuros projetos e os contratos com os proprietários, assim como também são analisados os impacto ambiental, as ramificações legais, as licenças estatais e a recuperação paisagística.
Após a estabilização da mina, os engenheiros ficam responsáveis por garantir melhorias da operação, na exploração de mais minério e na capitalização da operação.
Os engenheiros de minas também podem trabalhar na supervisão e gestão, na venda de minerais e de equipamento de mineração, na proteção ambiental e na higiene e segurança no trabalho.

A importância do engenheiro de minas

A engenharia de minas se faz muito importante no ramo econômico e social, uma vez que, pratica, a área consiste em uma manifestação da valorização das riquezas naturais de uma região, uma vez que a prática da mineração depende da natureza e de seus recursos para funcionar, se desenvolver e dar frutos.
Contudo, a mesma natureza que tanto tem a oferecer, pode deixar de contribuir caso não seja explorada de forma correta e sustentável, sempre considerando a não renovação de recursos e o possível esgotamento de suas fontes.

2019-07-30T16:33:08+00:00 10/07/2019|Notícias|