• ENCONTRE A SUA FILIAL AQUI.
  • (11) 99520-6661

Como avaliar a qualidade de seu pneu

Como avaliar a qualidade de seu pneu

A qualidade de um pneu ou qualquer outro produto tem como premissa a matéria-prima que origina o mesmo, como também não é necessariamente o valor do produto ou país em que a fabricação ocorre que determinarão sua qualidade e desempenho, na verdade esses pontos estão essencialmente ligados as estratégias de marca e não diretamente a qualidade do produto.

Para entender o processo de fabricação do pneu e as matérias primas utilizadas, vale ressaltar que seu nascimento foi acidental e se deu pela vulcanização da borracha, descoberta em 1844 por Charles Goodyear, a vulcanização é a mistura de borracha com enxofre submetido a altas temperaturas. Mal sabia Charles, mas nascia ali um das grandes invenções da sociedade. E para não parecer exagero vale a reflexão: e se não existissem pneus? O que o subsistiria?

O fato é que independente do setor, da indústria ou categoria de consumo o que está em questão é que em algum momento e em todos os lugares teremos esse produto. Feito a partir da borracha e propomos aqui numerar as matérias-primas a serem levadas em consideração e sua funcionalidade para um pneumático de alto desempenho.

Comecemos pela principal matéria prima desse produto: a borracha. Que corresponde a mais de 40% do pneu, e pode ser obtida de duas formas, da seringueira, que a forma natural, ou manipulada em laboratório que é a sintética.

O desenvolvimento da borracha de laboratório veio da dificuldade do látex de se adaptar as altas temperaturas que a deixa pegajosa e a baixa temperatura que pela rigidez facilida a quebra. As borrachas desenvolvidas em laboratório são materiais elastômeros, com grande elasticidade e resiliência, obtidas por meio da polimerização do acetileno. Para os pneus OTR a borracha que predomina é a natural, porque sua finalidade não é a de altas velocidades, mas a de suportar situações de altos impactos relativos as cargas e solos instáveis.

A próxima matéria utilizada na fabricação, com quase 30% de participação, é o negro fumo ou fuligem, produto que é um dos resultados mais puro do carvão (aqui também tem acetileno), nos pneus ele tem a função de aumentar a resistência e durabilidade, além de atribui à coloração escura.

Dos derivados de petróleo temos 17% como os químicos adicionais para estabilidade e produção da borracha sintética. Há ainda 10% de metal para as tramas e tecido compõem 4% para a junção dos materiais, esses revestimentos se referem à lonagem dos pneumáticos atribuindo estrutura.

Todas as matérias usadas exigem criteriosa seleção de origem, do fabricante um alto conhecimento técnico e o reflexo disso são as garantias e acompanhamento técnico que este oferece como suporte e comprometimento ao produto final. Por isso, quando for comprar um pneu verifique a procedência e as garantias oferecidas pelo fabricante ou distribuidora. Pneus similares em desempenho podem demonstrar uma variação de preço de até 50% em seu valor, por isso vale a pena investigar.

2018-08-30T16:03:03+00:00 18/10/2017|Notícias|